Trata-se de um gesto de boa vontade que antecede as negociações comerciais que estão previstas para o mês de outubro, em Washington. A agência não divulgou detalhes, mas disse ter ouvido fontes oficiais.

A soja é a maior exportação dos EUA para a China, mas as compras foram interrompidas depois que o presidente Donald Trump aumentou as tarifas sobre importações chinesas na guerra comercial que se estabeleceu entre as duas nações.

Durante a semana, algumas medidas já haviam dado indícios de uma possível trégua na disputa. Na quarta-feira (11/09), Trump anunciou que adiaria um aumento que estava planejado para as tarifas sobre produtos chineses.

 

Fonte: Gazeta do Povo (13/09/2019).