No estado do Rio Grande do Sul, de acordo com a TF Agroeconômica, os produtores abrem mão de R$ 83,00 pela saca. “O Estado do Rio Grande do Sul apresentou um dia com pouca movimentação nas negociações. No final da tarde de ontem (24/02), houve relatos de negócios que foram fechados  com  uma  grande  compradora,  para  entregas no  mês  de  maio.  A  mesma,  no  entanto,  segurou  as cotações no dia de hoje, e baixou R$ 0,50 por saca em relação ao dia anterior, indicando assim R$ 84,00”, comenta a consultoria. 

Já Santa Catarina registrou ofertas escassas, com negócios em Chapecó e Concórdia. “As  ofertas  estiveram  bastante  escassas  hoje  no  Estado de  Santa  Catarina,  segundo  relato  de  um  de  nossos correspondentes.  Em  comentário,  este  nos  disse  que apesar  do  esforço,  não  conseguiu  com  que  cerealistas ou  produtores  mostrassem  preços  ou  lotes,  e  que  o mercado, de maneira geral, esteve quieto. Novamente, a questão do frete nos foi relatada como principal fator de impedimento para os negócios”, completa. 

No Paraná, foram vistos negócios pontuais no Oeste e no Sul, mas duas mil toneladas negociadas no norte, para São Paulo. “As  negociações  no Estado  mantiveram o  ritmo  lento  da  semana  e  os  negócios  foram  pontuais,  com  as  tradings preocupando-se  em  embarcar  a  soja,  que  se  encontra atrasada em sua colheita. Nos Campos Gerais, pequenos lotes foram vistos sendo negociados  a  R$  79,00,  mas  de  forma  geral  a  região permanece com a ideia de R$ 80,00 na venda contra R$ 78,00  na  compra.  Na  região,  uma  indústria  segue indicando  a  R$  76,00  nas  intenções  de  março  com pagamento abril”, conclui. 

Fonte: Agrolink