Além dos resultados positivos obtidos com a inoculação de bactérias Bradyrhizobium em sementes de soja, a Embrapa lançou, em 2014, uma nova tecnologia que agrega uma segunda bactéria, a Azospirillum brasilense.

As plantas de soja coinoculadas com Bradyrhizobium e Azospirillum têm uma nodulação mais abundante e precoce e maiores taxas de FBN. Ensaios de campo mostram que, com a coinoculação, houve um incremento médio de 16% no rendimento da soja, em relação às áreas não inoculadas.

Palestrante: Marco Antonio Nogueira – pesquisador da Embrapa Soja Assuntos abordados Benefícios no uso da Coinoculação Orientações de manejo

 

 

Fonte: Rural Pecuária (05/09/2019).