A indústria de nutrição vegetal – formada pela empresas que produzem fertilizantes foliares, organominerais e orgânicos – cresceu 7,7% em 2019, em relação ao ano anterior, movimentando mais de R$ 7 bilhões. Nos últimos cinco anos (2015 – 2019), o mercado de fertilizantes foliares no Brasil cresceu 55%, o de organominerais foi 47% maior e o de orgânicos teve alta de 51%.

A cultura da soja representou quase metade (49,6%) das vendas de fertilizantes foliares em 2019, seguida do milho (9,2%), cana-de-açúcar (8,4%) e café (8,2%). Já os orgânicos para solo tiveram o café (29,4%) como principal cultura demandante. E as vendas de organominerais para o solo foram, principalmente, para soja (30,2%), café (21,6%) e milho (14,7%).

Os dados estão no Anuário Brasileiro de Tecnologia em Nutrição Vegetal 2020, lançado nesta sexta-feira (31/7) pela Associação brasileira das Indústrias de Tecnologia em Nutrição Vegetal Solos (Abisolo). A 6a edição do documento traz uma um perfil geral das empresas do setor e disponibiliza informações que indicam as transformações e tendências, além de artigos técnicos e pontos de vista sobre a conjuntura econômica do setor.

Concluído com atraso devido à pandemia do coronavírus, o anuário traz dados até meados deste ano e artigos técnicos sobre temas de interesse do setor. O lançamento, feito pela internet, também marcou a renovação da diretoria da Abisolo, tendo Roberto Levrero como presidente do Conselho Deliberativo e Gustavo Branco como vice-presidente.

Fonte: https://revistagloborural.globo.com/Noticias/Economia/noticia/2020/07/setor-de-nutricao-vegetal-cresceu-77-em-2019-diz-abisolo.html